Dicas

Vegan sem grana

Fim de mês é triste né? Ficamos contando as moedinhas para pegar o ônibus, comprar uma ou outra coisa que estamos precisando urgente e parece que do meio para o final do mês são dias eternos, mesmo sabendo que o dia do pagamento é um dia feliz por alguns minutos, já que o banco vai comer metade (quando não o todo) do seu salário porque você está mais do que negativadx, e o restante vai servir para pagar contas.

Bem, se você já passou dos 18 anos, eu espero que tenha aproveitado bastante a versão beta porque a vida de adulto é daí para pior.

Mas para ajudar, vou dar algumas dicas do que você pode fazer quando estiver no perrengue.

# 1 – Reforce o café da manhã

Você não precisa ter aquela mesa farta igual as de café da manhã de novela. A aveia é um dos cereais mais baratos do mercado e um mingau quente ou gelado com uma fruta já é uma ótima opção para te manter saciado até a hora do almoço.
Tapiocas também são ótimas opções para te manter bem alimentado gastando pouco.

# 2 – Smoothies

A dica acima é valiosa, assim como essa aqui também será. Vitaminas feitas com leite vegetal e frutas/verduras/legumes são trunfos porque mesmo que seu dia seja bem agitado e você tenha que comer qualquer coisa durante o dia, você já garantiu a sua porção de frutas e legumes. 😉

# 3 Reduza os substitutos e aumente DIY

Todo mundo gosta de coxinha, hambúrguer, pizza e a lista de gordices é longa. Mas, é fato que embora você seja apenas uma pessoa, almoçar todos os dias em restaurantes ou comer junk food todos os finais de semana vai tomar uma grana considerável do seu orçamento. Então, se a grana está curta, o jeito é fazer você mesmo a sua pizza, hambúrguer, pão e etc.

# 4 – Compre a granel / atacado

Comprar alimentos no supermercado também é bem arriscado nos momentos de crise porque além do ingrediente, você também está pagando pela marca, embalagem, propaganda na TV e etc.
Então, a minha sugestão é comprar em supermercados atacadistas (economiza na embalagem) ou em cerealistas (sem marca específica).
Se na sua cidade você tiver uma área onde vende produtos a granel, a minha dica é comprar em lojas que tenha uma rotatividade muito grande de pessoas, assim, você tem certeza que o produto que está sendo vendido é fresco e de qualidade.
Mas, se, assim como eu, não tem carro ou não tem tempo para ir até o local buscar, peça para entregar na sua casa. Isso facilita demais a vida.
Aqui em São Paulo, as cerealistas, que se localizam no centro da cidade, estão sempre lotadas, e você não vai enfrentar uma fila imensa só para comprar 1kg de farinha (né?). O peso nas costas, pegar metro e ônibus com aquele monte de comida não vai ser nada agradável. Então,
pensando nisso, algumas lojas cerealistas tem atendimento delivery pelo site. ❤ Você faz o seu pedido e pede para entregar na sua casa pagando o sedex. O mesmo acontece com alguns supermercados como o Sonda e o Pão de Açúcar, mas aí vai sair mais caro porque você não está efetivamente comparando os preços.

# 5 – LVF (Legumes, verduras e frutas) compras Ceagesp / pouca quantidade

Das duas uma: ou você compra em grande quantidade porque você consome muito ou você compra pouca quantidade porque não vale a pena. Como a dica # 3 é para reduzir o consumo de industrializados, você aumentará o consumo de LVF fazendo a sua comida. Para isso, você pode juntar uma galera e comprar no Ceagesp (se você for de São Paulo) e dividir as compras OU você compra no finalzinho da feira que os produtos estão mais baratos. Mas atenção: verifique bem o alimento antes de
comprar, mesmo que seja no final da feira. A “chepa” (como é chamada o fim de feira), embora muitas pessoas pensem que seja só alimentos estragados, há muita coisa boa que iria para o lixo ou voltar para a caixa e ser revendida em outra feira, mas precisa verificar os alimentos. 
Alguns feirantes, inclusive, fazem umas promoções bem legais que você leva mais quantidade pelo mesmo preço ou abaixam tanto os preços que você até consegue levar mais coisas do que precisava.
Outra dica é comprar apenas aquilo que você for fazer no dia, isso evita desperdícios, mas em contrapartida pode encarecer um pouco dependendo do mercado.

# 6 – Use a calculadora e pague preferencialmente em dinheiro

Embora, eu seja uma usuária assídua de só passar coisas no débito por já ter me cansado de arrumar briga por causa dos centavos (que ficam de graça com os caixas do supermercado porque eles não devolvem alegando que não tem o troco, mas que também não arredondam os
valores dos produtos), eu percebi que não pagar coisas em dinheiro faz com que não nos demos conta da quantidade de dinheiro que gastamos no mês.
A conta é simples. Ninguém gosta de ir no banco sacar dinheiro, logo, pagando as coisas em dinheiro, você ficará com dó de ver as notinhas saindo da sua carteira e pensará melhor se você realmente precisa daquilo ou se pode esperar mais um pouco.
Outro ponto é usar a calculadora no mercado, assim você saberá se o dinheiro que você também vai dar para passar a compra, se as promoções de leve x pague x vale mesmo a pena.

Um ponto importante que saiu notícia esses dias é o de preços diferentes no caixa e nas prateleiras, tenha muita atenção porque os valores NUNCA serão para menos beneficiando o consumidor.

# 7 – Organização e o freezer

Ser vegetariano é bem difícil quando você trabalha e/ou estuda. FATO!
E se você não se organizar, você acabará comendo qualquer coisa e muito mal.
Acredite, eu era professora, então viver na pindaíba e comer mal eram minhas especialidades.
Nas folgas, temos a experiencia de conviver com a preguiça monstra, eu sei, mas você precisa ser forte e resistir e o freezer é seu melhor amigo e dele você abusará sem restrições neste momento. 
Cozinhe e congele sua comida para a semana (inclusive frutas), limpe as verduras e prepare saladas sem tempero colocando em potes de vidro com tampa para que você consiga levar, pelo menos, uma salada bacana para o trabalho.
Congele frutas e utilize-as em suas vitaminas, assim você evita o desperdício.

# 8 – Planejamento semanal e lista de compras

Faça um planejamento semanal e a lista de compras para a semana, todas as semanas. É uma ótima forma de economizar neurônios (pensando no que fazer para comer) e dinheiro (comprando apenas o necessário), além de garantir que você saiba exatamente o que está comendo e se está comendo bem ou não.

# 9 – Opte por marcas genéricas

As marcas genéricas dos produtos ajudam a economizar bastante por serem mais baratos e podem ser tão boas (ou melhores) quanto as marcas.

# 10 – Orgânicos?

Seria perfeito um mundo em que toda a produção agrícola fosse orgânica. Ah, seria. Mas só o Butão faz isso, e como não moramos lá, a gente se vira como pode.
Os alimentos que seriam melhores se você consumir orgânicos são: maçãs, morangos, uvas, aipo, pêssegos, espinafre, pimentões, nectarinas, pepinos, tomates, ervilhas e batatas.

Mas, se você não mora próximo a uma área que tenha uma feira de orgânicos, não se desespere, você pode fazer uma mini horta em casa que não demanda muito espaço, mas sim criatividade/tempo/paciência para cuidar das mudinhas.

Agora, se você não tem habilidade ou interesse em ter a sua própria horta, comprar orgânicos PODE ser barato mas também pode ser caro. Fica a seu critério. 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s